sexta-feira, 2 de julho de 2010

Como ser socialista em um país capitalista?

Segue abaixo, uma reflexão de minha autoria... espero que leiam, reflitam, comentem, elogiem, critiquem, enfim fiquem à vontade!

Como ser socialista vivendo em um país capitalista?


Essa é a pergunta que eu faço a mim mesmo todos os dias. Como posso ser um verdadeiro socialista vivendo em um país extremamente capitalista? No meu caso, o país em questão é o Brasil, onde há um índice gigantesco de desigualdade social, onde o número de pessoas que vivem na linha abaixo da miséria e da desnutrição é gritante, onde o sistema carcerário é precário, onde o ensino público é tratado com descaso e os professores foram esquecidos ganhando salários indignos para uma classe que deveria ser tão valorizada, pois hoje em dia enfrenta até mesmo ameaças de morte se der nota baixa para alguns alunos.

Como ser um verdadeiro socialista num país onde as políticas sociais mantém o individuo na situação em que ele entrou para o quadro de beneficiados dos programas de auxílio sem proporcionar ao menos uma oportunidade de melhoria de vida. Mas o mantém em um estado de inércia?

Como ser um verdadeiro socialista se em meu país existe um programa que disponibiliza bolsas para estudantes de escolas públicas e de baixa renda em universidades privadas, enquanto as universidades públicas estão lotadas pelos estudantes que estudaram em escolas particulares e o ensino público continua abandonado? E esse mesmo programa estipula um valor máximo de renda per capta para que o estudante esteja apto a receber o benefício e se nesse meio tempo enquanto estuda o jovem ou algum de seus familiares conseguir um emprego ou receber um aumento salarial e ultrapassar o limite estipulado a bolsa é suspensa. Enquanto na verdade deveria ser calculado um limite levando em consideração o valor da mensalidade do curso, tendo em vista que esse programa atende estudantes dos mais variados cursos com os mais diversos valores, porém o valor estipulado como limite é igual para todos, do curso mais caro ao mais barato.

Como ser um verdadeiro socialista onde a saúde pública é tratada com descaso, faltam profissionais nos hospitais públicos, faltam leitos e as pessoas são acomodadas e atendidas nos corredores, além das grandes filas de espera?

Poderiam me responder que é fácil, bastando praticar em meu dia a dia os ideais socialistas!

E eu concordaria prontamente!Porém, ainda assim, não seria um verdadeiro socialista, pois ainda estaria condicionado a viver sob um regime capitalista, mesmo que às vezes esteja disfarçado com outro nome.

Precisaria pagar altos impostos, impostos estes que atingem ainda os gêneros alimentícios além dos altos impostos sobre o combustível.

Viveria ainda sob um governo que beneficia os grandes empresários e produtores.

Viveria sob um sistema que paga o salário não pelo grau de importância do trabalho executado, mas sim pelo grau de escolaridade do trabalhador. Quem é mais importante: o médico ou o lixeiro? O diretor da escola ou o servente que a mantém limpa? E as oportunidades e condições de estudo, foram as mesmas?

Viveria ainda em um país onde as minorias ainda são discriminadas. Onde em meio aos profissionais do maior esporte nacional, que une pessoas de todas as classes, raças e crenças, existe o racismo e o preconceito.

Continuaria vivendo em um país onde nem mesmo as vagas de estacionamento reservada a deficientes e idosos são respeitadas.

E viveria, ainda assim, em um país onde existem os movimentos dos sem terra e dos sem teto e com certeza, dentro em breve existirá o movimento dos sem esperança!

Mas, a esperança é a última que morre!
----------------------------------------------------------------------------------------------------------

Talvez a resposta seja simples: Basta que aprendamos com a vida de Jesus Cristo, seus atos, seus ideais, seus sonhos, suas palavras! Jesus foi o maior Socialista que já existiu!

Um comentário:

Spiritus Veritatis disse...

Muito oportuno este texto.
Abordei este tema em uma aula o que gerou certo fresesi entre meus alunos. Devemos não só defender a idéia de um Socialismo Possível, como também, a legitimidade da Teologia da Libertação. Não há como produzir um Saber Teológico coerente com a realidade ameríndia sem a TdL e o Socialismo real e concreto.